terça-feira, 31 de março de 2009

Diário de guerra: Olagaz Raiuga




Lockfall, 4º de Malleus, Ashtoven de 6o4 D.R

Já faz alguns dias que tenho observado esse rapaz, Raiuga, bem de perto. Ele apareceu para nós logo após eu ter sido baleado por um atirador dos Escudos Negros e foi de extrema importância, tanto para a captura, quanto para os eventos catastróficos que estavam por vir. Posso até mesmo dizer com certa segurança que ele foi primordial para a nossa vitória. Que ele é valoroso, todos já sabem, mas de onde veio? O que ele almeja?

Mesmo agora, após ter todos os relatórios de meus informantes em mão, eu fico com essa sensação de que algo me escapa. Sabemos que nasceu na cidade perolada de Cáspia, capital de Cygnar, nosso reino; e também que é filho único do grande Marechal Noslia Raiuga, desaparecido há algum tempo. Mas ao mesmo tempo em que sua face espelha a face de seu pai, seus atos são completamente diferente. Passou por várias prisões e foi condenado várias vezes por infrações menores, mas todos relatórios terminam da mesma forma, fuga antes do cumprimento da pena.

Raiuga é ligeiro com as mãos, com a mente e com a língua. Seus olhos parecem estar sempre de prontidão a todos os detalhes, mesmo quando aparenta cansaço ou desânimo, seus olhos continuam a emanar um brilho vivo e atento. Pelo que pude perceber, não é um guerreiro muito hábil, mas compensa suas falhas com velocidade e esperteza. Segundo os relatos dos que o viram em ação, ele também possui grande conhecimento sobre gatilhos mekanicos e um pouco (porém útil) de conhecimento sobre ilusões menores (será que era um aspirante a mago antes de tomar a estrada?).

De qualquer maneira, ele tem se provado leal e útil nesses últimos tempos. Penso seriamente em chamá-lo para fazer parte do grupo de operações especiais que estou montando, mas vamos ver. Algo me diz que esse garoto se tornará um grande herói no futuro, espero que não morra antes disso.

Capitão Vincent Naylor.

2 comentários: